Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diz à mãe para migar as sopas ...



Quinta-feira, 14.12.17

De tempo a tempo

18268621_1424448377593938_4954718680879829597_n-00

 

Boa tarde pessoas …

Criei sensivelmente há 2 anos o http://paulobritesfotografia.blogs.sapo.pt/  , um blog onde o tema é a fotografia. Durante este tempo fui partilhando as imagens da minha objetiva .

Inicialmente a ideia era partilhar imagens … depois, bem depois como tudo na vida evolui e passei a legendar essas imagens com pequenos textos. A determinada altura adicionei umas músicas como forma de dar vida a essas mesmas imagens que por aqui e acolá fui registando.

A pouco e pouco comecei a “acompanhar” essas imagens com alguns poemas ou pequenos textos escritos por mim mas, como tudo na vida, começou a não fazer sentido tantas “palavras” em conjunto com essas mesmas imagens! 

E assim surge este blog “Diz á mãe para migar as sopas…”! Surge da necessidade de escrever umas “coisas”! “Coisas” essas que não tinham cabimento no http://paulobritesfotografia.blogs.sapo.pt/     e resolvi regressar à ideia inicial, publicar unicamente fotografias no meu outro blog e deixar as palavras para aqui.

No entanto e ao longo desses quase 2 anos acabei por partilhar alguns textos, poemas, “escritos” e desabafos meus. Vou a pouco e pouco transportar para aqui alguns desses meus devaneios e, separar as “águas” nos meus dois blogs …

Para dar início a esta nova fase vou utilizar como mote umas palavras da minha amiga Graça Aguiar, que também ela esteve muito presente no http://paulobritesfotografia.blogs.sapo.pt/

“De tempo a tempo

é preciso mudar o vento

para que a vida

não vire rotina

e se converta

num sucessivo lamento…”

… e pronto recupero e publico aqui umas “palavras” escritas por mim em Julho deste ano, que julgo estarem completamente atuais:

Acorda … a corda!

Porque não há danças, há música

não há arte, há artesanato

não há cultura, há folclore

não há fotografia, há imagens

não há cinema, há imaginação

não há teatro, há representação

não há religião, há superstição

 

Acorda … a corda!

Porque não há distâncias, há querer

não há viagens, há passeios

não há comida, há fome

não há pecado, há personalidade

não há “línguas”, há dialetos

não há céu, há espaço

não há nuvens, há água condensada

não há matemática, há lógica e números

não há medicina, há doença

não há politica, há poder

não há guerra, há armas

não há filosofia, há divagação

não há países, há divisões

 

Acorda … a corda!

Porque não há estradas, há caminhos

não há olhos, há visão

não há ouvidos, há audição

não há barulhos, há sons

não há sonhos, há desejos

não há mágoa, há dor

não há “história”, há passado

não há amores, há complementos

não há atração, há carência

não há beijos, há vontades

não há abraços, há necessidades

não há traições, há infidelidades

não há mentiras, há falta de verdades

não há sexo, há prazeres e orgasmos

 

Acorda … a corda!

Porque não há poetas, há sofrimento

não há livros, há escritores

não há loucuras, há prazeres

não há drogas, há vícios

não há vida, há viver …

e um dia a corda parte e tu nem acordaste!

 

Como começa a ser habitual terminar os meus textos com beijinhos, cá vai …

 

Beijinhos!

 

* Foto Net

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Paulo Brites às 18:39


2 comentários

De Mars Is Just the Begining a 14.12.2017 às 19:00

Acordar e expandir os horizontes para não dizer a mente é tudo.
Muito Bom Post

De Paulo Brites a 14.12.2017 às 19:30

Importante "Acordar" antes que "a corda" se parta! Viver é isso! Obrigado Mars Is Just the Begining

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Arquivo

2018

2017




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31