Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Saí um café para a mesa do canto!

19.09.19 | Paulo Brites | ver comentários (4)
  Hoje o meu dia começou dessa forma: Uma simpática senhora, chega ao balcão onde eu estava a beber o meu café da manhã e faz o seguinte pedido: -Um café duplo em chávena aquecida, pode ser daquelas mais finas; Sem princípio, pingado, mas com leite quente! E quero (...)

Acorda! Não há idade, há espírito!

18.09.19 | Paulo Brites | comentar
Nikon D3200, 50-200mm @ 180mm, f/7.1, 1/640s, ISO 100   Hoje acordei muito bem-disposto! De tal forma, que até consegui raciocinar antes do café e do cigarro; Não é todos os dias que isso me acontece! Tenho dias, em que, somente após o planeta terra girar à sua volta (...)

Os burros e a fábula

17.09.19 | Paulo Brites | comentar
  E as sondagens de hoje que dizem? Ou os primos foram mandados calar? Seja como for, faz lembrar aquela fábula do burro! Para quem não conhece, aqui fica! Era uma vez um Rei que queria pescar. Chamou o seu meteorologista e pediu-lhe a previsão do tempo para as (...)

Mas que raio se passa neste momento?

17.09.19 | Paulo Brites | comentar
  Eu gosto de carne! Tu gostas de peixe! Eu gosto de alface e tomate! Tu gostas de rúcula e agriões! Eu gosto do bosque e da floresta! Tu gostas da cidade! Eu gosto de tartarugas! Tu gostas de gatos! Eu gosto de Fernando Pessoa! Tu gosta de Florbela Espanca! Eu gosto do (...)

Eu sou uma sensação minha

16.09.19 | Paulo Brites | comentar
Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/7.1, 1/125s, ISO 100   "A única realidade para mim são as minhas sensações. Eu sou uma sensação minha. Portanto nem da minha própria existência estou certo. Posso está-lo apenas daquelas sensações a que eu chamo minhas. A verdade? (...)

Não basta dizer: Vou Viajar

10.09.19 | Paulo Brites | ver comentários (2)
Nikon D3200, 50-200mm @ 50mm, f/7.1, 1/640s, ISO 400   Caminhar é fazer conquistas, criar cumplicidades, cativar! Caminhar é viajar! E ao viajar, só sabemos que nada se sabe e pouco se conhece. Nada é eterno e nada é inatingível! Se não, caso contrário, tudo perde (...)