Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Sabes?

06.10.16 | Paulo Brites

DSC_6163-1-2

Nikon D3200, 50-200mm @ 55mm, f/5.6, 1/125s, ISO 180

Reguengos de Monsaraz | Alentejo | Portugal

 

Quando partes eu nunca fico triste,

nunca choro

nem me deixo desabar

como construção de cartas.

Não fico perdido,

não me irrito,

não me lamento

nem tão pouco me atiro de cabeça para um estado de alma depressivo.

Quando partes

eu fico absolutamente normal,

com uma pequena

e ligeira dor no olhar

porque é só aos olhos

que me vais faltar.

E porquê?

Pois que dor posso eu sentir,

se na verdade,

dentro de mim,

tu nunca chegas a partir?

Tristão de Andrade

Pode a lua subir no céu

01.10.16 | Paulo Brites

DSC_6307-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/5.6, 1/40s, ISO 100

Praia Fluvial de Minas S. Domingos | Mértola | Alentejo

 

Vou andando, cantando

Tenho o sol à minha frente

Tão quente, brilhante

Sinto o fogo à flor da pele

Tão quente, beijando

Como se fosses tu

 

Ao longe, distante

Fica o mar no horizonte

É nele, por certo

Onde a tua alma se esconde

Carente, esperando

Esse mar és tu

 

Pode a noite ter outra cor

Pode o vento ser mais frio

Pode a lua subir no céu

Eu já vou descendo o rio...

 

Na foz, revolta

Fecho os olhos, penso em ti

Tão perto, que desperto

Há uma alma à minha frente

Tão quente, beijando

Por certo que és tu

 

Pode a lua subir no céu

E as nuvens a noite toldar

Pode o escuro ser como breu

Acabei por te encontrar

 

Vou andando, cantando

Tive o sol à minha frente

Tão quente, brilhando

Que a saudade me deixou

Para sempre,

Por certo

O meu Amor és tu.

Tim e Mariza