Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Não se perca ...

29.06.17 | Paulo Brites

DSCF0639-1

Fuji FinePix S4500, 4mm, f/3.1, 1/80s, ISO 400

Por ai ... | Algarve | Portugal

 

"Se achar que precisa voltar, volte! Se perceber que precisa seguir, siga! Se estiver tudo errado, comece novamente!

Se estiver tudo certo, continue! Se sentir saudades, mate-as! Se perder um amor, não se perca!...Se o achar, segure-o! Circunde-se de rosas e ame... O mais é nada."

Fernando Pessoa

 

 

Caminhos

22.06.17 | Paulo Brites

DSC_8455-1

Nikon D3200, 18-55mm @ 38mm, f/4.5, 1/640s, ISO 100

Por ai ... | Algarve | Portugal

 

Existem vários caminhos, várias direções. Cada um deve escolher o seu. Alguns caminhos se cruzam, outros não. O importante mesmo é caminhar, na direção que julgamos ser a melhor ou a que queremos… mas sem nunca deixar de pensar, que nada acontece por acaso … sempre existe uma razão neste cruzamento de caminhos.

Cativar

19.06.17 | Paulo Brites

DSC_6218-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/10, 1/50s, ISO 100

Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

https://www.youtube.com/watch?v=4NipIU2_IbM

 

“ - Que quer dizer "cativar"?

- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços...".

- Criar laços?

- Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...”

A raposa e o príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

Tudo está a correr bem!

18.06.17 | Paulo Brites

19146294_1534711429883514_4322763183542003111_n

Foto NET - Autor desconhecido

 

A esta hora o balanço é de 60 mortes mais 2 de acidente de viação numa das estradas afetadas …

Bem, nem sei por onde começar, mas vou tentar ser o mais isento possível.

Duas mortes por acidente de viação (ressalvo e realço que se tratavam de civis) e fazendo fé nas notícias dos profissionais de comunicação, essas mortes foram numa das estradas mais afetadas com destroços do incendio. Bem a primeira pergunta que faço é como é possível que tal ou tais estradas estejam abertas ao trânsito e circulação de civis? Serão primos do nosso amigo “César”, que entretanto foram entregar em mão algum currículo? Não quero ir por ai …

Com a tragédia de ontem que infelizmente contínua … faz-me recordar alguns infelizes acontecimentos que neste Pais à beira mar plantado vai surgindo e, não querendo fazer nenhum exercício de memória recordo por exemplo o infeliz acidente do ano passado em que arderam cento e tal automóveis por negligência de alguns iluminados que somente se esqueceram que autorizar um parque de estacionamento num terreno rural sem que o mesmo tivesse as devidas “limpezas”, claro está que a probabilidade de um acidente era enorme … felizmente foram só danos materiais, no entanto, continua-se a não saber quem teve responsabilidade nessa autorização.

Depois recordo também as cheias na Madeira, as cheias no Algarve … onde se “canalizam” linhas de água … ou no caso do algarve se faz um jardim numa linha de água e porque fica bem e bonito, até uma rotunda se constrói, nada tenho contra as rotundas, mas fazer uma rotunda que ao mesmo tempo é barragem … claro está que a coisa não iria correr bem … e depois a culpa é do S. Pedro que resolveu abrir as torneiras …

Não vou recuar mais no tempo mas não quero deixar de relembrar as infelizes pessoas que confiavam na ponte de Entre-Os-Rios e que por lá iam circulando … em que unicamente a culpa foi da “ponte”.

Quem como eu, viaja por estes pais, com facilidade se apercebe que não existe qualquer política de ordenamento do território … porque simplesmente não existe!

Estamos no início do verão … terminou-se com a profissão de Guarda Rios que em conjunto com a Guarda Florestal só tinham uma mais-valia, que era conhecer melhor do que ninguém o terreno e a floresta, … as bermas das estradas estão todas limpinhas, os caminhos rurais e os corta fogos estão todos em condições e devidamente preparados para combater e prevenir algum tipo de acidente, os militares (refiro unicamente a Força Aérea e o Exercito) patrulham as nossas florestas como meio de prevenção e de inibição de fogos postos, os juízes estão no cumprimento da lei, lei essa que determina que os autores de fogos postos fiquem em liberdade com termo de identidade e residência, os nosso Bombeiros passaram o inverno a vender rifas para conseguirem ter dinheiro para o combustível que necessitam nessa altura (para não dizer outras coisas) e porque no nosso pais essa coisa dos incêndios não existe e é invenção das pessoas, o mais estupido é que á 40 anos que se inventa essas coisas … enfim, podemos dizer que estamos preparados para o inicio da época balnear …

Depois e para não ir mais longe acho “piada” quando as autoridades desde pais que demoram tanto tempo a perceber certas coisas, aqui somente coloco os responsáveis do governo e até o Presidente da Republica comecem logo a declarar à queima-roupa que tudo está a correu muito bem … na minha otica claro está que isso é o início da desresponsabilização.

Não me vou alongar e extravasar neste meu desabafo … desta vez a culpa foi da trovoada … as autoridades estavam com medo dos relâmpagos e não foram de imediato cortar as estradas á circulação … depois porque o vento não ajudou e, porque é sempre bonito ter uma floresta bem decorada, ordenada e bem limpa lá está outro culpado (claro que muitas vezes existem dificuldades e ontem elas existiram mesmo) …

Em forma de pré balanço e depois da rapidez tão “normal” neste pais, em abrir inquéritos e chegar a algumas conclusões, bem como apurar responsáveis, temos para já alguns culpados: A trovoada, o vento, o calor e a pouca humidade! Quanto ao resto e como diz o nosso Primeiro-ministro e o Presidente da Republica TUDO ESTÁ A CORRER BEM!

Como se diz no Alentejo … Por amor da Santa!

Sem legenda ...

12.06.17 | Paulo Brites

DSC_0022-1

Nikon D3200, 50-200mm @ 135mm, f/5, 1/125s, ISO 100

Moura | Alentejo | Portugal

 

Ao contrário do que é normal, hoje partilho unicamente uma imagem sem que seja acompanhada por algum texto, porque, depois de tentar encontrar palavras para a legendar, não consegui de forma alguma. É caso para dizer, uma imagem vale mais do que mil palavras …

Pág. 1/2