Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Trump, Kim Jong-un e as loucuras dos loucos deste mundo!

10.03.18 | Paulo Brites

mw-860.jpg

Por norma não gosto muito de falar sobre temas e assuntos de dimensão mundial. Não porque não tenha a minha opinião mas porque considero muito mais importante deixar essa matéria para os especialistas e para quem detém muito mais conhecimento e informação sobre tais “coisas”. No entanto não gostaria de deixar passar em branco um acontecimento que em breve irá ter lugar. Falo da reunião histórica entre dois líderes … ou dois loucos … ou dois extremistas … ou dois casos de estudo psiquiátrico … ou dois … fulanos que deixo há vossa consideração qualquer tipo de adjetivo qualificativo.

Muito mal estamos nós quando a paz e segurança no planeta Terra está dependente de dois “estilosos penteados”! É o que temos, é o que existe.

Só por uma questão de “recordação” deixo aqui alguns casos de loucura que por este mundo tiveram lugar … certo que faltam muitos e muitos mais, no entanto esta lista iria ter um número incalculável de páginas se os fosse citar todos ou quase todos.

Será que estamos a deixar existir mais uns?

 

ADOLF HITLER (1889-1945)

Com uma ascensão meteórica no partido nazi alemão, chegou a chanceler em 1933. Lançou o mundo no caos da 2ª Guerra Mundial. Em nome da superioridade racial, matou milhões de pessoas. 

REINHARD HEYDRICH (1904-1942)

Imagine alguém que o próprio Hitler definiu como “um homem com coração de ferro”. Heydrich era o segundo na linha de comando da SS, organização paramilitar nazi que coordenou o Holocausto. Criou a polícia secreta para eliminar dissidentes nos territórios alemães e ordenou o massacre da cidade checa de Lídice, um dos piores da história. Conhecido por Gestapo.

JOSEF MENGELE (1911-1979)

O juramento de Hipócrates proíbe médicos de fazer o mal. O “Anjo da Morte” claramente ignorou a promessa. As suas pesquisas no campo de extermínio de Auschwitz envolviam atrocidades como mutilações, cirurgias sem anestesia e experiências genéticas. São-lhe atribuídas cerca de 400 mil mortes.

SLOBODAN MILOSEVIC (1941-2006)

O presidente da Sérvia de 1989 a 1997 promoveu a limpeza étnica de bósnios e muçulmanos na região de Kosovo. Para isso, iniciou quatro guerras nos anos 90, que vitimaram 250 mil pessoas e criaram 2 milhões de refugiados. Foi acusado de genocídio, perseguição política, racial e religiosa pelo Tribunal Criminal Internacional

SADDAM HUSSEIN  (1937-2006)

Ditador militar iraquiano entre 1979 e 2003, perseguiu e eliminou os seus oponentes políticos (40 deles eram seus familiares). Promoveu uma “limpeza” na região curda, no norte do país. Em 1990, deflagrou a Guerra do Golfo ao invadir o vizinho Kuwait.

AIATOLÁ KHOMEINI  (1902-1989)

Beijar em público: cem chicotadas. Ouvir música: prisão. Roubar: mão decepada. Essas foram algumas das severas punições instituídas por esse líder religioso xiita, que governou o Irã de 1979 a 1989. Além disso, entrou numa guerra contra o Iraque que matou 2 milhões de pessoas

MAO TSÉ-TUNG (1893-1976)

De 1943 a 1976, Mao seguiu a cartilha dos ditadores comunistas: eliminou quem criticava a sua liderança e forçou o povo a trabalhar em regime de escravidão (tudo em nome do “progresso”). Segundo a Organização de Direitos Humanos da ONU, causou a morte de 45 milhões de pessoas – incluindo cerca de 700 mil que se suicidaram.

IMPERADOR HIROHITO (1901-1989)

Imperador do Japão durante a 2ª Guerra Mundial e a 2ª Guerra Sino-Japonesa. Hirohito dizimou populações chinesas, um dos maiores exemplos foi o ataque das suas tropas à região de Nanquim, em 1937: uma “maratona” de pilhagens, incêndios e execução de civis. A contagem de corpos chegou a 300 mil.

JOSEF STALIN (1878-1953)

Vamos imaginar que depois de um comentário a criticar o governo, ser preso, torturado e enviado para campos de trabalho – ditador da União Soviética de 1922 a 1953. A sua loucura custou a vida a cerca de 60 milhões de pessoas.

TALAT PASHA (1874-1921)

Ficou só pouco mais de um ano (entre 1917 e 1918) no comando do Império Otomano, mas criou o terror. Roubos, torturas e estupros. Iniciou um massacre que eliminou mais de 1 milhão de armênios (sendo que a população armênia na época era de 2,5 milhões). Foi assassinado por um sobrevivente dessa atrocidade.

NAPOLEÃO BONAPARTE (1769-1821)

Líder político e militar que ascendeu ao poder no final da Revolução Francesa, tornou-se imperador e governou entre 1804 e 1814. Ignorou tratados internacionais e matou milhões durante as suas conquistas. Foi vencido pela sua ambição, ao esgotar as forças dos seus militares.

FRANCISCO PIZARRO (1471 e 1476-1541)

Depois de duas expedições marítimas sem sucesso, o conquistador espanhol alcançou o seu macabro objetivo: com o apoio do rei Carlos de Espanha, dizimou toda a população inca das Américas.

GÊNGIS KHAN (1162-1227)

Vamos imaginar alguém que, sozinho, consegue eliminar 30%da população mundial. Foi a façanha macabra de Khan. Após unificar as tribos nômades das estepes e se tornar o fundador de um dos mais poderosos impérios da antiguidade, Khan conquistou grande parte da China até o mar Cáspio, deixando um rastro de inacreditáveis 60 milhões de mortes estimados.

BASÍLIO II (958-1025)

Líder do Império Bizantino entre 976 e 1025, era o “matador de búlgaros” após uma guerra que durou 30 anos. Nas suas batalhas, matou milhares e cegou outros tantos (incluindo crianças e mulheres) com adagas em brasa.

ÁTILA (desconhecido –453)

Também conhecido por “O flagelo de Deus” e “Praga de Deus” foi rei dos hunos e governou grande parte da Europa de 434 a 453. Aniquilou nações inteiras. Inimigo jurado dos romanos, chegou a conquistar parte do norte da Itália.

HERODES, O GRANDE (74 e 73 a.C.-4 a.C.)

Conhecido como um louco que matou sua própria família e mandou assassinar centenas de rabinos, o rei romano da Judeia também era tirano e corrupto. Organizou uma espécie de polícia secreta que investigava qualquer início de rebelião entre os judeus controlados. Qualquer suspeito era torturado e executado publicamente.

QIN SHI HUANG (260 a.C.-210 a.C.)

O primeiro imperador chinês foi também um dos mais brutais: segundo registros, ele ordenou a morte de mais de 1 milhão de pessoas. Entre elas, pesquisadores que não conseguiram torná-lo imortal (uma de suas maiores obsessões).

 

Beijinhos e … que a utopia da paz no mundo um dia se torne realidade!

 

* Foto jornal Expresso