Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Uma música e uma fotografia - parte XXV - John Lennon - Imagine

27.01.19 | Paulo Brites

DSC-01-A.jpgNikon D3200, 50-200mm @ 180mm, f/6.3, 1/1600s, ISO 200

 

https://www.youtube.com/watch?v=xXyoBHXliMY 

 

Imagine there's no heaven

It's easy if you try

No hell below us

Above us only sky

Imagine all the people

Living for today

 

Imagine there's no countries

It isn't hard to do

Nothing to kill or die for

And no religion too

Imagine all the people

Living life in peace

 

You may say I'm a dreamer

But I'm not the only one

I hope some day you'll join us

And the world will be as one

 

Imagine no possessions

I wonder if you can

No need for greed or hunger

A brotherhood of man

Imagine all the people

Sharing all the world

 

You may say I'm a dreamer

But I'm not the only one

I hope some day you'll join us

And the world will live as one

 

Imagine - John Lennon

 

Uma música e uma fotografia - parte XXIV - Ana Carolina e Luiz Melodia - Cabide

26.01.19 | Paulo Brites

DSC_3828-1-3.jpgNikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/6.3, 1/160s, ISO 100

 

https://www.youtube.com/watch?v=pwy-_CqOtA0 

 

E se eu fugir e sair por ai na noitada

Me acabando de rir

E se eu disser que não digo, e não ligo, e que fico

E que só vou aprontar

É que eu sambo direitinho, assim bem miudinho,

Cê não sabe acompanhar

Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide só pra pendurar

Quero ver se você tem atitude

E se vai me encarar

 

E se eu sumir dos lugares, dos bares, esquinas

E ninguém me encontrar

E se me virem sambando até de madrugada

E você for até lá

É que eu sambo direitinho assim bem miudinho,

Sei que você vai gostar

Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide só pra pendurar

Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar

 

Chega de fazer fumaça, de contar vantagem

Quero ver chegar junto pra me juntar

Me fazer sentir mais viva

Me apertar o corpo e a alma

Me fazendo suar

Quero beijos sem tréguas

Quero sete mil léguas sem descansar

Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar.

 

E se eu fugir e sair por ai na noitada

Me acabando de rir

E se eu disser que não digo, e não ligo, e que fico

E que só vou aprontar

É que eu mando direitinho, assim bem miudinho,

Sei que você vai gostar

Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide só pra pendurar

Quero ver se você tem atitude e se vai encarar

Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar

Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar

 

Cabide - Ana Carolina

 

Uma música e uma fotografia - parte XXIII - Ortigões - Serpente de Fogo

20.01.19 | Paulo Brites

DSC_3743-1-2.jpgNikon D3200, 50-200mm @ 90mm, f/4.8, 1/500s, ISO 3200

 

https://www.youtube.com/watch?v=8EgQCjoMp-0

 

Vemo-nos aí no Verão

Calça encarnada e o teu ar brincalhão

Juntos encostados ao bar

É 'pá tardada e está tudo a dizer mal

E sempre que alucina qualquer coisa

Todos fogem, tudo a dizer não é nada, todos fogem

 

E eles os quatro, sinto o calor da cidade

E o goto dessa Serpente de Fogo

 

Não baixes os olhos, eu sei que inocente

Caíste no lodo

 

E eles os quatro, sinto o calor da cidade

E o goto dessa Serpente de Fogo

 

Quem é que te viu dançar

Eu imagino o que fostes ao Luar

E mesmo feia és uma grande mulher!

Mulher p'ra casar...

 

Vemo-nos aí ao relento

Calça encarnada e o teu cabelo ao vento

Juntos encostados ao bar

É pá tardada e está tudo a dizer mal

E sempre que alucina qualquer coisa

Todos fogem, tudo a dizer não é nada, todos fogem

 

E eles os quatro, sinto o calor da cidade

E o goto dessa Serpente de Fogo

 

Quem é que te viu dançar

Eu imagino o que fostes ao Luar

 

Assim mesmo feia és uma grande mulher!

Mulher p'ra casar...

 

Ortigões – Serpente de fogo

Dia internacional do riso ou do sorriso e, os erros gramaticais

18.01.19 | Paulo Brites

Aumentare le vendite con il sorriso Marcello Di Ba

 

Há pouco, numa estação de rádio, falava alguém sobre erros de Português. Na opinião de tão nobre e ilustre “Doutora Gramatical”, lá foi dizendo que: Os Portugueses mal tratam a nossa língua, como por exemplo, a aplicação de um adjetivo de “grandeza” junto de um diminutivo.   

“Sorrisinho”; “Beijinho”; “Coraçãozinho”; “Saudadinha” e, os demais “inhos e inhas” são por si um diminutivo. Assim sendo, um diminutivo nunca pode ser grande. Muitas vezes dizemos: um sorrisinho grande; um beijinho grande; um abracinho grande; um coraçãozinho grande; saudadinhas grandes … e por ai fora!

 

Bem, eu aceito todas as opiniões. Mas afinal como ficamos em termos de Português? Será isso um erro gramatical e linguístico?

 

Reconheço que o meu Português é, uma das minhas muitas lacunas pessoais. Isso não significa, que não faça o meu exercício sobre tão nobre língua.

 

Um sorrisinho ou um beijinho, por si só, já significa que é pequeno. No entanto, poderemos ter sorrisos e beijos maiores do que os outros. Não significa por si só, que se enviarmos um beijinho a alguém que nos é querido, esse beijo seja somente um beijo de respeito. Poderemos enviar um beijinho sem que o mesmo, tenha como destino, por exemplo, a face ou a testa de quem o recebe. O mesmo acontece com o sorriso. Um sorriso, poderá ter muitos motivos para ser emitido. Assim, existem sorrisos grandes e pequenos, tal como gargalhadas mais sonoras ou menos sonoras. Já quanto ao beijo, que me desculpe “Doutora Gramatical” – não há beijo grande nem beijo pequeno! Há beijos mais demorados ou mais rápidos!

 

Quando um português diz: um beijinho; Ele está a enviar ou a demonstrar um acto de carinho, quer seja como despedida ou como cumprimento de alguém que nos é querido.

 

“Doutora Gramatical” que me desculpe, mas também não concordo consigo, quando diz que: “um beijinho grande” é o maior erro gramatical que um casal apaixonado poderá ter. Não sei se a “Doutora Gramatical” está ou alguma vez esteve apaixonada. Eu, um apaixonado do tamanho do mundo, quando digo: “um beijinho grande”, não estou preocupado com a gramática, estou sim, é apaixonado e a demonstrar essa paixão, a quem esse “beijinho grande” é destinado.

 

Eu, um plebeu linguístico, não concordo consigo “Doutora Gramatical”! Um diminutivo em português, também serve para transmitir uma conotação carinhosa e, a ela poderemos perfeitamente, acompanhar de um adjetivo de grandeza, sem que, o mesmo seja um erro de Português. Por exemplo, “O meu filhinho está muito grande, está cada vez maior” ou “Baixinha, estás cada vez maior, amo-te”

 

Enfim, a mania dos “Doutores Gramaticais” ter a lógica linguística toda arrumadinha, será a melhor forma de preservar a nossa língua? Acho que não! Um pouco de romantismo não lhe faria mal!

 

Se há “coisas” que neste português me intrigam, não é a conotação carinhosa de um diminutivo acompanhado de um adjetivo de grandeza mas sim, porque chamamos um par de cuecas a uma cueca!

 

Bruxa é uma coisa má – Bruxinha é uma coisa boa! Trengo é uma coisa sem jeito – Trenguinho é alguém amoroso! Abraço nunca é algo que se faça sozinho, abraçar é necessário mais que um, então porque não eliminamos essa palavra da nossa língua?

 

“Doutora Gramatical” deixe-se de merdas ou merdinhas (grandes ou pequenas), apaixone-se e, disfrute da vida! Beijinhos grandes! Já agora e porque hoje é o dia internacional do sorriso, um sorrisinho grande também para si!

 

Para além da curva da estrada

09.01.19 | Paulo Brites

21155985_IOKzP.jpeg

 

 

Para além da curva da estrada

Talvez haja um poço, e talvez um castelo,

E talvez apenas a continuação da estrada.

Não sei nem pergunto.

Enquanto vou na estrada antes da curva

Só olho para a estrada antes da curva,

Porque não posso ver senão a estrada antes da curva.

De nada me serviria estar olhando para outro lado

E para aquilo que não vejo.

Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos.

Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer.

Se há alguém para além da curva da estrada,

Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada.

Essa é que é a estrada para eles.

Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos.

Por ora só sabemos que lá não estamos.

Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva

Há a estrada sem curva nenhuma.

 

Para além da curva da estrada - Alberto Caeiro

 

Presságio

07.01.19 | Paulo Brites

DSC_3606-1-3.jpgNikon D3200, 18-55mm @ 20mm, f/6.3, 1/1600s, ISO 400

 

O amor, quando se revela,

Não se sabe revelar.

Sabe bem olhar pra ela,

Mas não lhe sabe falar.

 

Quem quer dizer o que sente

Não sabe o que há de dizer.

Fala: parece que mente…

Cala: parece esquecer…

 

Ah, mas se ela adivinhasse,

Se pudesse ouvir o olhar,

E se um olhar lhe bastasse

Pra saber que a estão a amar!

 

Mas quem sente muito, cala;

Quem quer dizer quanto sente

Fica sem alma nem fala,

Fica só, inteiramente!

 

Mas se isto puder contar-lhe

O que não lhe ouso contar,

Já não terei que falar-lhe

Porque lhe estou a falar…

 

Fernando Pessoa