Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Afinal quem é que manda aqui? Vamos mas é alterar essa merda!

27.12.17 | Paulo Brites

fbe62970752711748deb1a017afd99ab.jpg

 

A 30 de Novembro o PS formaliza um contrato de financiamento vulgarmente conhecido como empréstimo, imagine-se em que condições e em que entidade bancária? O Novo Banco!

Esse mesmo empréstimo ao que parece é no valor de 2 milhões de euros, teve como garantias bancárias 1,1 milhão (em imóveis), portanto 55% do valor do mesmo … até aqui tudo bem! Qualquer pessoa individual ou coletiva pode contrair tais empréstimos, para isso, necessita de reunir diversas condições, entre elas a taxa de esforço … e um banco que o queira ou aceite fazer! É de conhecimento público as dificuldades financeiras do Partido Socialista, no entanto, e porque são tudo boas pessoas o Novo Banco confia totalmente em tal instituição … sabe-se lá porquê!?

Como as contas dos partidos políticos são contas sempre muito sérias, honestas, claras … enfim deixo á imaginação de cada um a aplicação de tais adjetivos qualificativos para tais “grupos organizados” e suas contas, ações, movimentos, interesses …

21 dias depois faz-se luz e eis que pelos lados do “hemicirco” é alterada a lei de financiamento dos partidos políticos, que com a época festiva e o espirito natalício quase que passava sem dar nas vistas, tal qual como um criminoso que limpa o local do crime na esperança de não ser apanhado.

Parece que tais trabalhadores exemplares, ao longo do ano civil lá se iam reunindo e afinando a nova lei de forma a que, a mesma chegasse a um ponto de consenso entre as diferentes cores politicas e as suas necessidades. Salientar também que nessa alteração de lei ficou “combinado” que as diferentes propostas não seriam públicas em relação a quem as apresentou! Também aqui é normal neste país esses consensos políticos, é de facto o que mais acontece … mas segundo parece a coisa é tão séria e honesta que nem uma acta é necessário fazer … ou se foram feitas, deverão estar no cofre do “hemicirco” junto com o relatório de Pedrogão por serem consideradas altamente confidenciais …

De entre as muitas alterações propostas, existem algumas que são na verdade bastante claras. O fim do limite das doações (para empresas) e gestão e angariação de fundos, bem como a isenção total de pagamento de IVA nas despesas de tais ilustres organizações.

Quanto á primeira, pergunto eu? Mas afinal quem tem interesse em doar dinheiro a um partido politico? Deve ser do tipo: Coitados estão tão necessitados de dinheiro e são tão boas pessoas que eu vou doar 1 milhão de euros, mas faço-o de forma desinteressada … e eu sou o Pai Natal …

Nota 1:

Na legislação em vigor, os partidos estão limitados a registar 631 mil euros anuais através de ações de angariação de fundos — o que corresponde a 1500 vezes o valor do IAS (Indexante de Apoios Sociais). A partir de agora não há limite… Uma angariação de fundos pode ser uma festa em que se paga bilhete, um concerto, um leilão de obras de arte ou um qualquer ação em que o participante paga sabendo que a receita reverte para um partido. Não confundir com os donativos individuais, que mantêm as restrições de 25 IAS por doador (10,5 mil euros).- Fonte Observador

 

A segunda alteração, enfim, é completamente injusto pagar IVA! Porque raio teríamos agora de pagar mais 23%? Nammm isso não é para nós! Ainda por cima esses gajos das finanças estão a confundir tudo, então para que não exista confusão acabamos com o IVA para o “pessoal” …

Nota 2:

Os partidos já tinham direito a algumas devoluções de IVA: em ações de propaganda “que visem difundir a sua mensagem política ou identidade própria” — segundo a letra da lei em vigor –, mas também em ações de angariação de fundos. Um deputado que integrou o grupo de trabalho diz que se trata apenas de “uma clarificação” porque a Autoridade Tributária não tinha um critério uniforme para avaliar estas devoluções de IVA. Assim, passa a ser tudo.- Fonte Observador

 

“Assim passa a ser tudo” uma frase de um deputado à nação sobre a isenção de IVA … e a saúde, a educação, os bens alimentares de primeira necessidade, a energia … sr deputado tenha vergonha na cara!!!

Tanto o senhor como todos os seus “colegas e camaradas” um pouco de decência fica bem! Se estas alterações são justas e honestas, porque razão foram feitas pela calada? Sem debate público e o pior, sem darem a cara por elas?

De todas as justificações públicas por parte de responsáveis políticos, claramente que existem algumas no mínimo … “engraçadas”:

 

PS -  Autoridade Tributária não tinha um critério uniforme para avaliar estas devoluções de IVA. Assim, passa a ser tudo!

PSDVotamos a favor porque concordamos com tudo!

BENão concordamos, mas votamos a favor (desta vez não são do contra …) podera pimenta no rabo dos outros para nós é refresco.

PCP e PEV – Até parecem que se mudaram para o Largo do Rato de tão caladinhos que estão (finalmente as receitas da festa do Avante estão controladas …)

Quanto ao CDS e PAM, não consigo perceber se estão contra por estarem mesmo contra ou se estão a aproveitar a “coisa” para tentarem uns votosinhos …

 

Ao Prof. Marcelo deixo uma sugestão para logo á “noitinha” … que se faça o que tem que ser feito e se devolva o diploma ao “hemicirco” e no minino se obrigue essa “gentinha toda” a um debate sério sobre o assunto e que se dê a cara, para que o Zé Povinho, no mínimo tenha conhecimento do que é que cada uma das cores políticas diz sobre tal “roubalheira”, “falta de decência” e se alguma semelhança com incentivo à “corrupção” existir é somente pura imaginação …

 

E é assim … depois dos amigos, chegou a hora dos dinheirinhos não é Costinha???

 

Vergonha e falta de decência! (hoje não termino com beijinhos)

 

* foto NET