Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Altruísmo, egoísmo e outros “ísmos” do nosso dia-a-dia

25.09.18 | Paulo Brites

Street

Nikon D3200, 18-55mm @ 48mm, f/7.1, 1/160s, ISO 100

 

Altruísmo é um “termo e doutrina” que nasce após os complicados anos do primeiro quartel do século XIX. Havia necessidade de definir algumas formas de comportamento do ser humano. Já existia o “termo” egoísmo. E eis que alguém resolve criar uma doutrina que fosse antónimo de egoísmo. Claro que todo o conceito dessa doutrina já era uma característica de sempre dos seres humanos. Faz parte de muitos, felizmente.

 

Por ser uma palavra que soa bem, é bastante utilizada, por todos. No entanto, alguns têm dificuldade em prenunciar tal termo. Têm também dificuldade em expressar e praticar tais atos que identificam este palavrão.

 

O altruísmo vai muito para além de uma boa ação ou de uma opção de vida. É condição essencial para, além de se mudar o mundo, mudarmos a nós próprios e criar novos rumos aos rumos.

 

No seu sentido contrário vem o “egoísmo” e o “individualismo”. Todas a “correntes” existentes deveriam para além de ter nos seus princípios, a sua praticabilidade. No entanto é bem mais praticado o “egoísmo” e o “individualismo”. Não é necessariamente mau praticar o “egoísmo”. Para além de fazer parte da sobrevivência humana, também é necessário, para por exemplo, encontrar um equilíbrio. Quer seja no trabalho, no amor, ou mesmo no nosso bem-estar emocional. Todos nós deveríamos ter a capacidade de em dozes equivalentes, praticar o altruísmo e o egoísmo. Tal equilíbrio iria sem dúvida evitar muita “coisa” que por esta vida vamos vivendo.

 

Tal como o otimismo e o pessimismo deverão ser equilibrados, também o altruísmo e egoísmo o deverão ser. O otimista acredita que vivemos no melhor dos mundos. O pessimista teme que isso seja verdade. Mas se existe uma regra que nunca nos deveremos esquecer, é, nunca faças ao outro o que não gostavas que te fizessem a ti.

 

Quando não se consegue ser altruísta, egoísta, otimista e pessimista em dozes equilibradas, significa que teremos que rever a nossa forma de pensar, lidar e conviver em sociedade. Quer seja politicamente, religiosamente, sentimentalmente e outros mentes quaisquer.

 

Praticar é mais simples do que parece, basta apenas sinceridade, verdade e respeito.