Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

O sonho de casar tendo como testemunha um menir, a Rocha dos Namorados

02.09.18 | Paulo Brites

rocha-dos-namorados.jpg

 

Calor? Não! Somente estão 36 graus! A esplanada está quase deserta, peço um café e um pastel de nata. Melhor, quero antes um café e uma queijadinha de Évora que estão com um aspeto fantástico. Escolho uma das 3 mesas que têm sombra, afinal os 36 graus, não são muito simpáticos para que possamos escolher uma mesa ao sol.

 

Uma das coisas que gosto quando estou sozinho sentado numa esplanada é observar as pessoas que circulam por perto. Enumeras vezes, tiro a máquina fotográfica da mochila e entretenho-me a fotografar transeuntes (tenho já uns milhares de registos, mas não digam a ninguém). Gosto de observar a forma como caminham, como se vestem, como conversam, como olham … faço essa observação sem qualquer tipo de avaliação, somente pelo prazer da observação. Claro que nenhuma dessas fotos as torno publicas seja onde for. Mas a verdade é que registar esses olhares e esses momentos simples, puros e genuínos são das coisas melhores de fotografar.

 

Do nada, surge um casal que para eles os 36 graus alentejanos pouco ou nada importa. Passeiam de mãos dadas e entre 3 passos, mostram o amor que sentem um pelo outro com a troca de alguns afetos simples mas demonstrativos dos seus sentimentos. Mais 3 ou 4 passos e uma nova pausa, desta vez para se sentirem um só com a troca de um beijo.

 

Não fotografei, não tive reação para isso! Estava demasiado absorvido na observação do amor que eles transmitiam um ao outro. No entanto e nessa sua caminhada um deles viu a minha máquina pousada em cima da mesa e veio ter comigo:

- Olhe, desculpe estar a incomodar mas poderia tirar-nos umas fotos?

- Claro que sim! – respondi eu

- É que casamos ontem e ainda não temos nenhuma foto depois de nos casarmos. Não temos máquina nem telemóveis que tirem fotos.

- Ok sem problema, eu tiro umas fotos e depois envio-lhes. Digam um mail para enviar …

 

E lá comecei a tirar as fotos aos recém casados. Não sei qual a idade deles mas aparentam ter perto dos 30 anos, felizes e verdadeiramente apaixonados. Conhecem-se desde os 16 anos e resolveram fazer este ano umas férias de bicicleta por Portugal. Saíram de uma pequena cidade do norte de Itália e vieram casar perto de S. Pedro do Corval, Reguengos de Monsaraz, tendo como testemunha um menir, a rocha dos namorados! Sempre foi um desejo deles visitar esse local!

 

Depois de ter tirados as fotos, fizeram questão de pagar uma cerveja e acabamos por falar pouco mais de 30 minutos, queriam chegar a Beja ao início da noite. Quanto há inexistência de máquina fotográfica ou de qualquer outro equipamento que registe momentos sobre forma de imagem, dizem eles - “Como é a nossa viagem de sonho se tirarmos fotografias não teremos como nos deitar na nossa cama e antes de fazer amor, recordar esta viagem. Por isso tudo ficará registado na nossa memória para a vida toda.”

 

Pegaram nas suas bicicletas e lá seguiram viagem! Não era um casal heterossexual, era um casal homossexual! Sem dúvida que o amor que têm um pelo outro é enorme. Que sejam felizes e que os vossos sonhos nunca terminem!

 

Beijinhos e abraços para todos e que, nunca deixem de viver a vossa felicidade, é o melhor que levamos da vida!

 

PS – Para quem não conhece a Rocha dos Namorados e a sua tradição deixo aqui uma breve descrição:

Trata-se de um menir constituído por um bloco de granito natural, com cerca de mais de dois metros de altura, que apresenta uma forma semelhante à de um cogumelo ou de um útero.

Esta rocha está associado um secular rito pagão de fertilidade, que consiste em: as raparigas em idade de contrair matrimónio, vão consultar a rocha (como se de um oráculo se tratasse), para saberem quanto tempo ainda falta para se efectivar o casamento. Para esse efeito atiram para cima do menir, uma pedra. Se essa pedra não ficar em cima da rocha e cair ao solo, representa que têm de esperar mais um ano para o casamento. Esta consulta à rocha dos namorados, era feita geralmente na Segunda Feira de Páscoa

fonte - https://pt.wikipedia.org/wiki/Rocha_dos_Namorados

 

foto – Site da Camara Municipal de Reguengos de Monsaraz