Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Saí um café para a mesa do canto!

19.09.19 | Paulo Brites

 

Hoje o meu dia começou dessa forma: Uma simpática senhora, chega ao balcão onde eu estava a beber o meu café da manhã e faz o seguinte pedido:

-Um café duplo em chávena aquecida, pode ser daquelas mais finas; Sem princípio, pingado, mas com leite quente! E quero um pau de canela sff! Vou querer também factura com NIF! Ah, desculpe, também o quero sem fim!

E é isso! Nós portugueses com o café somos talvez únicos no mundo! Para um jovem empregado de uma pastelaria, café, restaurante e similares é quem sabe, o mais complicado na sua tarefa de atender os clientes. Qualquer dia, não ficaria admirado em saber que uma qualquer Universidade, irá ministrar uma licenciatura e doutoramento em tirador de café!

De todas as nossas taras na ingestão da dose diária de cafeina, uma delas ressalva à vista! Defendemos até à última consequência o termo “bica”, no entanto, pouco ou nada o aplicamos no pedido de um café expresso. Coisas nossas é claro!

Mas se há coisa em que o português é de facto entendido, o café é uma delas sem dúvida! Temos o curto, o cheio, o meio-cheio (desconheço se existe o meio-vazio), o pingado, escorrido, o normal. Temos a bica, o cimbalino, o carioca, o garoto, o bombom, o cappuccino o abatanado, com cheirinho … o duplo, o pingado e, até o músico. A meia de leite, o galão, o escurinho … a italiana, a chinesa, o americano, a banheira, o mazagran, que num dia de calor, numa esplanada em frente ao mar, é um maravilhoso refresco de cafeina. Com canela, duplo, simples, escorrido, com princípio e sem fim … até temos o carioca de limão!

Enfim, chávena quente, fria, a escaldar, molhada, seca … nunca mais acabaria de enumerar a tão virtuosa forma de tratar a dose diária de cafeina! Nem ambiciono tal facto! Seria uma imprudência minha dizer: essas são as formas de beber e pedir um café em Portugal! Nunca se sabe se não existirão mais 9564 forma de o fazer e pedir!    

Depois temos o acto de o “beber”. Uns gostam de pegar na assa da chávena, outros, ignoram a sua utilidade e gostam de pegar na chávena de mão cheia. Há quem beba com açúcar mas que não mexe para o diluir, outros sem açúcar, outros com adoçante para que possam ingerir o famoso pastel de nata em conjunto … ainda há quem goste, de uma pitada de pimenta ou canela. Enfim …

Sem dúvida que daria um bom tema de estudo e análise comportamental.

E mais, mesmo os que não bebem café, quando nos ausentamos do País dizemos: Que saudades de um café Português!  

O texto já vai ficando longo e, tenho a máquina de café avariada. Vou terminar! É que com tanto café, fiquei com vontade de beber um. Hoje para variar, vou a um músico! É mesmo o que me apetece! Só espero é que o coitado do empregado, saiba o que é um músico!

 

Beijinhos  

4 comentários

Comentar post