Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Um dedo de culinária - parte I - Camarinhas e a sua geleia extraordinária

04.09.18 | Paulo Brites

DSC_9879-1-2.jpg

 

Diz a lenda que são lágrimas da rainha Santa Isabel, que chorando atravessou o pinhal. Provavelmente já passaram por elas em alguma duna, perto de pinheiros e junto ao mar. As camarinhas distribuem-se um pouco por toda a orla costeira na península ibérica. Em Portugal a zona de leiria, costa alentejana e parte do algarve é onde se encontram com alguma frequência, embora seja uma planta em vias de extinção.

 

Só se encontram mesmo junto ao mar, se vamos mais para o interior já não existe. E entre as suas características está a teimosia em se permanecerem selvagens! Nascem e frutificam só onde lhes apetece, sendo impossível semear ou transplantar.

 

As flores surgem de Março a Junho, masculinas e femininas em plantas separadas, mas são tão pequenas que passam quase despercebidas, sendo a sua polinização assegurada pelo vento.

 

De sabor fresco, doce e acídulo, a humilde camarinha presta-se a ser comida assim tal qual existe na natureza (um verdadeiro prazer) ou como uma magnífica geleia agridoce e, ainda é possível acompanhar carnes assadas por exemplo.

 

Confecionar:

Levar ao lume as camarinhas cobertas com água, cozer em lume brando uns 30 minutos.

As bagas brancas tornam-se translúcidas, depois ficam rosadas e por fim rebentam libertando polpa e as sementes escuras.

Passar por um passador de rede, ajudando com uma colher para retirar as sementes e aproveitar bem a polpa.

Pesar o liquido obtido e adicionar 2/3 do peso em açúcar e uma casaca de limão cortada bem fininha.

Levar novamente ao lume com o açúcar e deixar ferver em lume brando até obter um ponto estrada.

Guardar em frascos esterilizados.

 

Tal como todas as geleias, esta pode ser aromatizada de muitas formas diferentes: com casca de laranja, lima, tangerina, com sumo de limão, com gengibre, sálvia, anis, canela, noz moscada, pimenta, etc. Sempre misturadas no momento de adicionar o açúcar.

Se quiser usar com carne, misturar um pouco de vinagre balsâmico.

 

E pronto … bons petiscos! Beijinhos