Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Um dedo de culinária - parte V - Figos-da-Índia e algumas receitas

20.09.18 | Paulo Brites

DSC_1407-1.jpg

 

No Alentejo e Algarve, as piteiras como também são conhecidas, crescem selvagens há séculos. Poderão existir duas aflorações por ano, uma na primavera e outra no princípio de outono, necessitando de temperaturas diurnas superiores a 20º C. Existem variedades de fruto brancas, amarelos (os mais apreciados), roxos e vermelhos.

 

São muitas as propriedades do figo-da-índia e do cacto onde nascem. Na medicina popular, durante muitos e muitos anos, preparava-se um xarope com base no sumo extraído das folhas da piteira, para ajudar na “cura” da tosse. Para a asma e infecções das vias respiratórias, cortava-se o interior do figo em rodelas fininhas, cobriam-se com açúcar. Repousava durante a noite num recipiente fechado. Coava-se pela manhã para eliminar as sementes e, durante o dia bebia-se à colher.

 

Quase toda a planta se poderá consumir. O figo-da-Índia consome-se fresco, mas também como fruto seco. As folhas podem ser consumidas como legume fresco ou em sumos. Das flores secas faz-se uma infusão. O fruto deste cacto é também utilizado na produção de vários tipos de licores e até aguardentes.

 

Na culinária, para além do figo, também é muito saborosa a polpa da folha. A sua casca, poderá ser utilizada na elaboração de sumos.

 

Para a utilização da palma (folha da piteira), deverá limpar bem os picos e retirar a casca. Nas saladas e sopas, corte em cubos. Para a utilização em sumos, bolos, licores, geleia … adicione água, mas somente a necessária para triturar. Da sua casca poderá fazer pickles.

 

O figo-da-Índia deve ser manipulado com muito cuidado. Os seus minúsculos picos não são muito agradáveis em contacto com a pele. No entanto, tendo o devido cuidado, não é muito complicado a sua preparação.

 

Utilizar luvas e com a ajuda de um alicate comprido, poderá ser uma tanás do lume por exemplo, rode-os até se soltarem da palma. Já em casa, com a ajuda do mesmo alicate, passe o figo pela chama do fogão, para queimar os picos.

 

Num prato, espete um garfo no figo e corte as extremidades. Com uma faca dê um corte em cima e abra o figo, para que retire toda a casca envolvente. Tenha cuidado para não deixar a polpa entrar em contacto com a casca, poderá esta ter ainda alguns picos e passar para a polpa. Depois desses passos, estará pronto a consumir.

 

Deixo aqui algumas formas de confeccionar:

 

Sopa de folha de Figueira-da-Índia

 

6 folhas de figueira-da-Índia, com espinhos tirados, lavadas, descascadas e cortadas em tiras

1 colher de sobremesa de manteiga

1 litro de caldo de galinha

2 dentes de alho

1 cebola

1 tomate

1 bom molho de coentros

sal a gosto

 

Prepare as folhas de figueira-da-Índia, retirando os picos e a casca. Passe por água, salteie numa frigideira com a manteiga. Numa panela com o caldo, leve as folhas ao lume. Quando levantar fervura, acrescente o alho, a cebola, o tomate e o sal. Deixe cozinhar cerca de 30 minutos. Rectifique de sal se necessário, polvilhe com os coentros picados e sirva.

 

 

Saladas de folha de Figueira-da-Índia

 

Retire os espinhos e rale a folha com casca num ralador (use folhas novas, se forem fibrosas retire a casca). Adicione a mesma quantidade de cenoura ralada, tempere com limão e sal. Pode adicionar um pouco de molho de soja, se gostar.

 

 

Licor de figo-da-Índia

 

10 figos-da-Índia picados e com casca

1 litro de aguardente

500 g de açúcar

750 ml de água

 

Coloque os figos picados e a aguardente a macerar 30 dias. Utilize um recipiente de vidro e proteja do sol e da claridade. Agite 2 ou 3 vezes por dia, poderá ser de manhã e ao final da tarde. Depois disto, retire os figos, coloque-os numa panela com água e o açúcar. Vá mexendo em lume brando até derreter os figos completamente. Espere atá arrefecer e volte a colocar na aguardente. Deixe macerar por mais 30 dias, mexendo todos os dias. Depois de macerar, coe tudo num coador de pano. Coloque numa garrafa... e, tenha cuidado no seu consumo, é forte!

 

 

Torta de figo-da-Índia

 

900 g de figos-da-Índia

400 g de açúcar mascavado

4 ovos

2 paus de canela

raspa de 1 laranja

4 colheres de sopa de farinha com fermento

canela e açúcar em pó q.b.

 

Descasque os figos-da-Índia, corte-os às rodelas e coza-os em lume brando com 100 g de açúcar e os dois paus de canela. Depois de cozido retire os paus de canela, triture e remova as sementes. Adicione 300 g de açúcar, raspa de 1 laranja e os ovos inteiros. Bata tudo muito bem. De seguida, envolva a farinha com uma vara de arames. Unte um tabuleiro com manteiga. Forre o tabuleiro com papel vegetal, unte também o papel vegetal e polvilhe com farinha. Verta a massa para o tabuleiro e leve ao forno a 190ºC durante aproximadamente 30 minutos. Depois de cozido, desenforme sobre um pano polvilhado com açúcar e canela em pó. Remova o papel vegetal e enrole com a ajuda de um pano húmido.

 

 

Gelado de figo-da-Índia

 

2 pacotes de natas

1 lata de leite condensado

Sumo de figos-da-Índia sem sementes

 

Bata as natas em castelo bem firmes, junte o leite condensado até obter o ponto. Adicione o sumo de figo-da-Índia. Leve ao congelador e sirva gelado, decorado com amêndoas torradas.

 

Existem muitas mais receitas possível de confeccionar os figos-da-índia, dê largas à sua imaginação.