Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz à mãe para migar as sopas ...

Diz à mãe para migar as sopas ...

Uma música e uma fotografia - parte LXXXI - GNR - Caixa Negra

16.10.19 | Paulo Brites

DSC_1635-1-3.jpgNikon D3200, 50-200mm @ 50mm, f/7.1, 1/1250s, ISO 220

 

https://www.youtube.com/watch?v=g1r-k999M6c

 

A caixa negra tem,
lá coisas que não revela a ninguém.
Não lembra ao diabo também!
A caixa negra tem,
altura que não convém, a ninguém!
Afetam e assustam também!
E há quem lhe chame preta
sem poemas na gaveta
mais uns sons tipo trombeta.

Há sempre uma bicicleta,
com motor é uma lambreta
uma bala na caneta!

A caixa negra nem,
tem cores que se distinguem muito bem.
Nem respeito nem pudor.
A caixa negra traz traz,
revelações do além
vai e vem;
vai e vem
vai e vem.

Quem levanta uma suspeita
uma perna mui perfeita
a tua espera rarefeita.
Há sempre uma bicicleta lá!
Que com motor é uma lambreta
uma bala na corneta.

Há mais uma bicicleta,
com motor é uma lambreta
uma bala na caneta.

Quem levanta uma suspeita não!
Uma saia, uma pedra
uma perna tão perfeita.
Lá vem uma bicicleta
com motor ou outra lambeta
uma bala na caneta.

Caixa negra vem,
caixa negra tem!